Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Sabedoria Jnana Yoga – Yoga do saber



Estão desfeitas todas as ilusões de adulto sonhador.

O rosto da realidade iluminou os recantos sombrios onde eu guardava as ambições impensadas.

Vi então se diluírem as imagens de névoa que adornavam o meu altar de encantamentos.

Esvazia-se a taça dos meus desejos e me plenifico em paz.

Agora, mesmo que eu esteja calado, sem emitir qualquer som, minh’alma se encontra cantando.

A melodia ressoa nas cordas sensíveis da minha emoção e a música da ternura inunda meus minutos com festa, impedindo que a tristeza habite na casa do meu coração.

Aprendo a escutar todos os murmúrios que exaltam a vida e que antes, na balbúrdia da minha inquietação, passavam despercebidos.

Se é noite, me esqueço das trevas para seguir as estrelas e se é dia, para todos os que se vestem de angústia e sombras, canto o poema de amor e esperança.

A sabedoria chegou pela experiência dos que vieram antes de mim. Assim também ensinei todos os dias à criança que segue ao meu lado: — faze-te semente do bem, torna-te rosa, transforma-te em árvore…

— O que te suceda é para a glória da vida.

— Morrendo, a semente faz-se vergel; a rosa deixa embalsamado o ar e a árvore, minha adorável criança, a árvore não deve tombar para morrer.

Texto: Marlene Nardi de Assis

 

 

 

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *