Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

A beleza da Unidade na diversidade

A vida é bela porque ela emana do Uno.
Se paro a minha correria rajásica, percebo que existe um sistema inteligente em cada coisa, em cada ser!
Até um certo ponto estes microcosmos são independentes, mas esta independência é na verdade interdependente! Como uma rede! Cada “nó” tem a sua função intrínseca e o que seria um simples “nó” se não estivesse atado em todos os outros? Nunca cumpririam a função de ser rede.
Assim, continuo a minha reflexão e me pergunto: quem sou eu? De onde venho? Pra onde vou? Qual o propósito da minha vida? Qual o porque da existência de tudo e de todos pelos caminhos que vou?
Serei eu semelhante ao nó? Que tem uma verdade intrínseca, mas também está ligada à outros e  que juntos formamos uma rede de conhecimentos, potenciais, sonhos e missões, de experiências vitoriosas e derrotas, alegrias e tristezas? Parte de um inteligente, gigantesco e infinito fractal?
Ah, como a vida é bela! Mas ela é também a possibilidade de um vir a ser, porque nos espera de braços abertos, como um grande laboratório disponível para experimentarmos a nossa “genialidade” ainda latente, pois ainda não compreendemos a fundo o quanto somos filhos do Uno. O quanto podemos e somos, porque na verdade somos, tudo e todos, aspectos da Sua emanação infinita.
Me vergo em profunda reverência a toda esta diversidade: às montanhas, rios, matas, desertos… pássaros, peixes, crocodilos, ornitorrincos! Reverencio o velho, o novo, o cientista, o médico, o pajé, meu pai e minha mãe… Reverencio voce e eu, porque somos recém nascidos e manifestação do Uno e para Ele estamos retornando à medida que O desvendamos.
Texto: Dáfani Nardi

3 Comments

Leave a Reply
  1. Como sou feliz em ter uma mestra tão sábia …
    Eu, também me vergo em reverência a você e a todos os seus ensinamentos.
    Parabéns, está lindo o blog .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *